Não te esqueças de viver – Curso de Auto-Hipnose: práticas para a mudança

“Viver não é um facto, é um bem”, Fernando Gil

02 nov: despertar para o presente e amar o dia
(ferramentas de auto-relaxamento)

16 nov: olhar com alguma distância para pensamentos e emoções
(criança interior e laços)

30 nov: reescrever a história
(transformar padrões relacionais negativos)

14 dez: audácia de imaginar o caminho
(propósito e mapa de sonhos)

Sábados das 15h-17h
15 euros/sessão
Min. 4 – max. 10

Para quem se destina este curso:
Para adultos que queiram recursos e ferramentas para orientar o seu dia a dia no sentido do equilíbrio emocional e bem-estar, seu e dos outros. Que desejem aumentar a sua consciência sobre o que mantem os problemas nas suas vidas e praticar formas de transformar emoções como o medo, ansiedade, raiva, tristeza… abrindo caminhos para o futuro.

O que é a auto-hipnose?

É uma técnica simples e segura ao alcance de todos. Aprendem-se práticas imagéticas e de ressignificação que possibilitam a transformação, ligando corpo e mente. Estas práticas podem depois ser praticadas por iniciativa própria e de forma independente.

Nos exercícios de auto-hipnose, a pessoa não fica “insconsciente”, ganha sim uma maior consciência da sua história, clarificando e acalmando o passado, criando espaço para olhar para si.

O que se pretende é dar ferramentas para reconstruir o futuro, ativando o poder próprio, a vontade, e a liberdade de imaginar.

Exercícios de:
– respiração e movimento;
– visualização e imaginação ativa;
– auto-relaxamento;
– meditação;
– identificação de narrativas do(s) problema(s) e criação de novas narrativas;
– jogo dramático

Acesso a:
– áudios de meditação/visualização;
– textos de

Facilitadora:
O meu nome é Vânia Ribeiro, psicóloga há 12 anos, as minhas outras paixões são o teatro, a filosofia, a música e as histórias. Escolhi estudar psicologia pela curiosidade sobre o que é ser uma pessoa, sobre o que é a alma e o amor e pela empatia. Decidi, depois, estudar teatro, e as profundas aprendizagens do curso e da prática como atriz, levaram-me a alterar a forma como pratico psicologia. Uma das implicações principais foi a valorização da relação corpo e mente, da imaginação, da ação e da empatia/imitação. O curso de formação profissional em hipnoterapia foi o elo de ligação (entre a psicologia e o teatro) pela prática de consciência corporal e imagética e pela (re) criação de histórias.